fbpx

Cobra é encontrada dentro de couve-flor por moradora de Porto Belo

Uma jararaca-dormideira foi encontrada dentro de uma embalagem de couve-flor em Porto Belo, no Litoral Norte catarinense, nesta quinta-feira (30). Segundo o grupo de resgate que atuou na ocorrência, a moradora encontrou a cobra no momento em que ia cortar o legume. A espécie não é venenosa.

O animal é uma Dipsas mikanii e, segundo o biólogo Christian Raboch, é considerada juvenil. Animais desta espécie podem chegar a 50 centímetros.

“Ela se alimenta de lesmas e caracóis. Por isso estava ali dentro”, explica o biólogo.

Após ser capturada, a cobra foi encaminhada para o sítio de reabilitação do Grupo de Operações e Resgate, onde será examinada e, posteriormente, solta em seu habitat natural.

Na terça-feira (28), um registro semelhante foi feito em Florianópolis. Em 2020, uma moradora de Brusque, no Vale do Itajaí, encontrou uma cobra dentro de uma embalagem de brócolis.

Inofensiva

De acordo com Raboch, a cobra encontrada é inofensiva. Porém, ela pode ser confundida com uma jararaca, que é venenosa e uma das principais responsáveis por acidentes com picadas no Brasil.

Ao contrário das dormideiras, as jararacas (Bothrops jararaca) possuem um padrão escuro em formato de “V” pelo corpo. Outra diferença, de acordo com o especialista, é que a jararaca conta com uma fissura entre os olhos e a narina, chamada de fosseta loreal.

“No começo, é difícil diferenciar, pois se tratam de serpentes marrons. Claro que, muitas vezes, as pessoas não vão reparar nisso, mas é interessante destacar”, explicou.

Ainda de acordo com Raboch, enquanto as dormideiras crescem até cerca de 50 centímetros, as jararacas podem chegar até 1,40 metro.

O que fazer em caso de picada?

  • Caso seja picado por uma cobra, não se deve amarrar o local. Segundo o biólogo Christian Lempek, o torniquete pode aumentar o risco de necrosar o local e resultar até em amputação;
  • não se deve cortar o local, fazer perfurações ou sucção;
  • o local da picada deve ser lavado com água e sabão;
  • a vítima deve ser levada o mais rápido possível ao hospital;
  • é importante tentar identificar a serpente (pode ser por foto, se possível) pois isso facilitará para escolha do soro antiofídico a ser aplicado.

Fonte: G1/SC

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: