fbpx

Inflação sobe para 1,16% em setembro, maior taxa para o mês desde 1994, diz IBGE

A inflação, calculada a partir do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA), subiu para 1,16% em setembro, 0,29 ponto percentual acida da taxa 0,87% contabilizada em agosto. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), responsável pela divulgado dos dados nesta sexta-feira, essa foi a maior variação para setembro desde 1994, época em que o indicador foi de 1,53%. 

Conforme o IBGE, no ano, o IPCA acumula alta de 6,90% e, nos últimos 12 meses, de 10,25%, porcentagem a acima dos 9,68% observados nos 12 meses imediatamente anteriores. Já em setembro de 2020, a variação mensal havia sido de 0,64%.

De acordo com o levantamento apresentado hoje, dos nove grupos de produtos e serviços envolvidos na pesquisa, oito tiveram alta em setembro. O maior impacto (0,41 ponto percentual) e a maior variação (2,56%) vieram de Habitação, que acelerou em relação a agosto (0,68%) graças à alta da energia elétrica, contabilizada em 6,47%. 

Na sequência, vieram Transportes (1,82%) e Alimentação e Bebidas (1,02%), cujos impactos foram de 0,38 p.p. e 0,21 p.p. respectivamente. Esses três grupos contribuíram, conjuntamente, com cerca de 86% do resultado de setembro (1,0 p.p. do total de 1,16). Os demais grupos ficaram entre a queda de 0,01% em Educação e a alta de 0,90% em Artigos de residência.

Na sequência, vieram Transportes (1,82%) e Alimentação e Bebidas (1,02%), cujos impactos foram de 0,38 p.p. e 0,21 p.p. respectivamente. Esses três grupos contribuíram, conjuntamente, com cerca de 86% do resultado de setembro (1,0 p.p. do total de 1,16). Os demais grupos ficaram entre a queda de 0,01% em Educação e a alta de 0,90% em Artigos de residência.

Fonte: Correio do Povo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: