fbpx

Mercado financeiro sobe para 8% a estimativa de inflação em 2021 e vê alta menor do PIB do Brasil

O mercado financeiro subiu a estimativa para o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), a inflação oficial do País, para 8% neste ano. Ao mesmo tempo, reduziu a previsão de crescimento da economia,. As previsões do mercado constam no relatório Focus, divulgado nesta segunda-feira (13) pelo BC (Banco Central). Para a inflação, a expectativa do mercado para o ano de 2021 avançou pela vigésima primeira terceira seguida, passando de 7,58% para 8%. O centro da meta de inflação, em 2020, é de 3,75%. Pelo sistema vigente no país, será considerada cumprida se ficar entre 2,25% e 5,25%. Com isso, a projeção do mercado já está acima do dobro da meta central de inflação (7,5%). A meta de inflação é fixada pelo CMN (Conselho Monetário Nacional). Para alcançá-la, o Banco Central eleva ou reduz a taxa básica de juros da economia. Em 2020, pressionado pelos preços dos alimentos, o IPCA ficou em 4,52%, acima do centro da meta para o ano, que era de 4%, mas dentro do intervalo de tolerância. Foi a maior inflação anual desde 2016. Para 2022, o mercado financeiro subiu de 3,98% para 4,03% a estimativa de inflação. Foi a oitava alta seguida no indicador. No ano que vem, a meta central de inflação é de 3,50% e será oficialmente cumprida se o índice oscilar de 2% a 5%. PIB Os economistas do mercado financeiro reduziram a estimativa de crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) de 5,15% para 5,04% em 2021. O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no País e serve para medir a evolução da economia. Para 2022, o mercado baixou a previsão de alta do PIB de 1,93% para 1,72%. Na semana passada, o ministro da Economia, Paulo Guedes, admitiu que o “barulho político” dos últimos dias, resultado do discurso de caráter golpista do presidente Jair Bolsonaro nas manifestações de 7 de Setembro, poderia afetar o ritmo de crescimento da economia brasileira, gerando uma desaceleração. Taxa básica de juros O mercado financeiro também subiu de 7,63% para 8% ao ano a previsão para a Selic no fim de 2021. Com isso, os analistas seguem estimando alta nos juros neste ano. Em março, na primeira elevação em quase seis anos, a taxa básica da economia foi aumentada pelo BC para 2,75% ao ano. Em maio, o Copom elevou o juro para 3,5% ao ano e, em junho, a taxa avançou ara 4,25% ao ano. Na semana passada, a taxa subiu para 5,25% ao ano. Para o fim de 2022, os economistas do mercado financeiro elevaram a expectativa para a taxa Selic de 7,75% para 8% ao ano, o que pressupõe estabilidade do juro básico da economia no ano que vem. 

Fonte: O Sul

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: