fbpx
GeralMundo

Rússia confirma retirada de parte das tropas da fronteira com a Ucrânia

A Rússia anunciou nesta terça-feira que algumas unidades militares posicionadas na fronteira com a Ucrânia começaram a retornar aos quartéis. A presença militar no local provocava o temor de uma operação iminente no país vizinho.

“As unidades dos distritos militares Sul e Oeste, que já concluíram suas tarefas, começaram a carregar equipamentos para o transporte ferroviário e rodoviário e começarão hoje o retorno para seus quartéis”, afirmou o porta-voz do ministério da Defesa, Igor Konashenkov, citado por agências de notícias russas.

O Kremlin confirmou o início da retirada das tropas e ressaltou que é algo “normal”. O governo russo denunciou, mais uma vez, a “histeria” ocidental diante de uma suposta invasão do país vizinho. “Sempre dissemos que depois das manobras (…) as tropas voltarão para seus quartéis de origem. E é isso que está acontecendo agora. É o procedimento habitual”, disse o porta-voz da presidência russa, Dmitri Peskov.

O anúncio, o primeiro sinal de distensão por parte de Moscou, foi vago e não é possível saber o número de soldados que afeta. A Rússia mobilizou mais de 100 mil militares na fronteira com a Ucrânia desde dezembro.

Ao mesmo tempo, a Rússia mantém as manobras militares em Belarus, país vizinho da Ucrânia, que devem prosseguir até 20 de fevereiro. A retirada de algumas tropas foi recebida com entusiasmo na Ucrânia, onde o ministro das Relações Exteriores, Dmytro Kuleba, afirmou que seu país, ao lado dos aliados ocidentais, “conseguiu impedir uma nova escalada russa”.

“Já estamos em meados de fevereiro e vemos que a diplomacia continua funcionando”, disse Kuleba. Mas o ministro destacou que a tensão permanece ao longo da fronteira e que a Rússia deve retirar as tropas restantes. “Temos uma regra: não acredite no que você ouve, acredite no que você vê. Quando observarmos uma retirada, vamos acreditar na desescalada”, disse.

O anúncio russo coincide com a visita a Moscou do chanceler alemão Olaf Scholz, que tenta avançar com as negociações diplomáticas e afastar o fantasma de uma invasão e uma guerra no leste da Europa. A ministra alemã das Relações Exteriores, Annalena Baerbock, pediu à Rússia que retire suas tropas da fronteira. “A situação é particularmente perigosa e pode ficar mais grave a qualquer momento”, alertou em um comunicado.


Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (0) in /home/tapeja36/public_html/wp-includes/functions.php on line 5420