fbpx

COMO ERA O RIO GRANDE DO SUL: A Primeira divisão administrativa do Rio Grande do Sul

O surgimento do Rio Grande do Sul está ligado diretamente à história da sua ocupação, a partir das sesmarias e dos núcleos açorianos. Foi nesse momento que o Estado iniciou um processo de divisão territorial em áreas administrativas.

Na época o Rio Grande do Sul recém fora elevado à condição de Capitania do Rio Grande de São Pedro do Sul. Dom Diogo de Souza fora designado por Dom João IV como capitão-general e “governador” do estado, sendo ele o responsável em assinar em um alvará que estabeleceria a primeira divisão administrativa no território gaúcho que, após muitas disputas entre as coroas portuguesa e espanhola, começava a tomar a forma que se mantém até os dias de hoje.

Sendo assim a primeira divisão ocorreu no ano de 1809, separando a então Província de São Pedro em quatro grandes municípios: Porto Alegre, Rio Grande, Rio Pardo e Santo Antônio da Patrulha.

Eles eram divididos da seguinte forma:

Porto Alegre – Com as paróquias de N.S. Madre de Deus, N.S. da Conceição de Viamão, N.S. dos Anjos da Aldeia, Bom Jesus do Triumpho.

Rio Grande – Com as paróquias de S. Pedro do Rio Grande, N.S. da Conceição do Estreito e S. Luiz de França das Mostardas.

Santo Antonio da Patrulha – Com as paróquias S. Antonio da Patrulha, N.S. da Conceição do Arroio e N.S. da Oliveirada Vaccaria.

Rio Pardo – Com as paróquias de N.S. do Rosário de Rio Pardo, Santo Amaro, S. José de Taquary e N.S. da Conceição da Cachoeira.

Com o passar dos anos, outras divisões administrativas foram ocorrendo, à medida em que emancipações eram efetivadas e novos municípios iam sendo fundados pelos desbravadores dos rincões gaúchos.

Essa evolução, com o surgimento de novas sedes municipais, acentuou-se, sobretudo, na segunda metade do século 19, quando a economia baseada na pecuária já se encontrava em processo de estagnação e a chegada de imigrantes europeus para povoar e colonizar novas áreas tornou-se presente.

Os imigrantes estabeleceram-se em pequenas propriedades nos vales dos rios Taquari, Sinos e Caí. Dedicaram-se primeiramente à agricultura de subsistência e, através da comercialização do excedente da produção, geraram capital que proporcionou o surgimento do comércio e da indústria. O desenvolvimento destes setores propiciou o surgimento de uma região mais dinâmica, formada de novos e inúmeros povoados. O crescimento populacional e o fracionamento das colônias, somados à chegada de novos grupos étnicos, resultou na expansão das áreas no Rio Grande do Sul e seu processo de emancipação se intensificou do que conhecemos hoje.

Atualmente, numa área de 281.730,2 km², o Estado do Rio Grande do Sul é divido em 497 municípios, de acordo com dados do IBGE e do governo do Estado.

Por: Diones Franchi

Jornalista e mestre em História … … …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: