fbpx

CPI pede prisão do presidente da Precisa, que se retrata

O senador Alessandro Vieira voltou a pedir a prisão de um depoente da CPI da Covid durante a sessão desta quinta-feira (19), que ouviu o presidente da Precisa Medicamentos, Francisco Maximiano.

O conflito veio depois que Maximiano repetiu diversas vezes ser fiador de um apartamento para justificar sua relação com Danilo Trento, também ligado à Precisa e que se tornou um dos principais alvos da CPI por sua suposta relação com a compra da vacina contra covid-19 Covaxin e de reagentes para testes de covid no Ministério da Saúde.

“É o fato de que o depoente, claramente, textualmente, mentiu. Ao ser questionado pelo Senador Tasso Jereissati no tocante às suas relações num contrato de locação de imóvel juntamente com o Sr. Danilo Trento, outra figura notória, ele disse que era apenas o fiador”, disse o senador.

“Objetivamente estávamos falando de um contrato onde não existe a figura do fiador. Existe um seguro fiança, coincidentemente da mesma empresa, extremamente suspeita, do amigo próximo do depoente, do Deputado Federal Ricardo Barros, Marcos Tolentino e que causa espécie. Aqui a gente tem essa avaliação”, completou.

Em resposta, Maximiano admitiu a contradição e disse que se apresentou como fiador do imóvel por engano. “Eu formalmente me retrato e peço desculpas por (…) Realmente consto como locatário no contrato deste imóvel. Não me recordava, pois não vivi lá nesse imóvel. Foi uma confusão. Minhas desculpas.”, justificou. 

Fonte: R7

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: