fbpx

Grêmio sofre goleada do Flamengo com um a mais e está praticamente fora da Copa do Brasil

O reencontro com Renato Portaluppi aconteceu, e foi pior do que as piores expectativas da torcida esperava. Na noite desta quarta-feira, o Grêmio enfrentou o Flamengo, e foi atropelado mesmo com um jogador a mais. Foi goleado por 4 a 0 no jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil e se complicou na competição. Com o resultado, o Tricolor precisa vencer por quatro gols para penalidades e por cinco gols de diferença para avançar à semifinal.

Bruno Viana, após cobrança de escanteio, contou com desvio em Rafinha para abrir o placar. Michael marcou, Rodinei e Vitinho, de pênalti, definiram a vitória dos visitantes. Na etapa inicial, Isla foi expulso. 

O jogo de volta acontece dia 15 de setembro, às 21h30min, no Maracanã. Antes, o Tricolor enfrenta o Corinthians, no sábado, às 21h, na Arena, em jogo válido pela 18ª rodada do Brasileirão.

Primeiro tempo equilibrado

O Grêmio teve a volta do zagueiro Kannemann para a partida. Ainda sem Geromel, Rodrigues formou a dupla na defesa. Na esquerda, Rafinha foi improvisado mais uma vez, se firmando na função. Com Villasanti e Thiago Santos, a trinca de volantes foi completada por Lucas Silva. No banco de reservas, dois reforços importantes: Ferreira, voltando de lesão, e o recém-contratado Campaz, à disposição de Felipão pela primeira vez. 

Nos primeiros 15 minutos, as melhores chances para abrir o placar foram do Grêmio. Logo a 1 de jogo, Villasanti tentou, e ela sobrou para Borja, que limpou e bateu cruzado, sem ângulo. Depois, foi a vez de Alisson tabelar com o centroavante e receber em condições de finalizar, em chute que passou perto da trave esquerda de Diego Alves.

O jogo mudou de temperatura, e o árbitro não entendeu a mudança. Deixou de aplicar cartões para Alisson e Gustavo Henrique e, minutos depois, a omissão cobrou o preço. Vanderson e Everton Ribeiro se estranharam, e Gabigol chegou empurrando. Mais uma vez, o árbitro preferiu a conversa, e não aplicou advertências.

Ainda no primeiro tempo, o Tricolor teve uma baixa. Douglas Costa sentiu o posterior da coxa esquerda e não conseguiu prosseguir na partida. Bastante chateado, reclamando com ele mesmo, deixou o campo para a entrada de Ferreira, que voltou ao time depois de lesão e polêmica que quase resultou na saída do clube.

O Flamengo começou a ter prejuízo quando Bruno Henrique arrancou, e sentiu o posterior da coxa, sendo substituído. Mas a situação ficou ainda pior quando Alisson foi acionado em lançamento longo e Isla parou a jogada com falta, puxando o adversário. O lateral, que já tinha cartão amarelo, acabou expulso, deixando o Flamengo com um jogador a menos para a etapa final.

Tricolor implode com um a mais

Para tentar corrigir o time com um jogador a menos, Renato promoveu duas trocas no intervalo. Sacou Diego para a entrada do lateral Matheuzinho, para recompor o setor, e sacou o apagado Arrascaeta, que mal participou do jogo na primeira etapa, para a entrada do volante Thiago Maia. 

As trocas melhoraram o Flamengo, que logo chegou ao seu gol. Aos sete minutos, após cobrança de escanteio pela direita, ela sobrou para o zagueiro no segundo pau. Ele dominou e finalizou. O desvio em Rafinha matou Chapecó, e a bola morreu no fundo do gol, abrindo o placar para os visitantes na Arena.

A resposta do Grêmio foi imediata. Um minuto depois, Alisson foi acionado, avançou com a bola dominada e arriscou de fora da área. A finalização forte bateu no travessão de Diego Alves, quase empatando o confronto. 

Em desvantagem no placar, Felipão também fez suas trocas. O treinador promoveu a estreia do recém contratado meia Campaz. Para tornar o time mais ofensivo, optou por sacar o volante Lucas Silva. Logo depois, optou pelas entradas de Luiz Fernando e Diego Souza, que seguiu jogando com Borja em campo. Alisson, que fez bom jogo, e Thiago Santos, foram os sacados. 

 As mudanças, empilhando jogadores de frente, não funcionaram da maneira esperada. Desprotegido dos volantes na marcação, cedeu espaços para o contra-ataque. Assim, aos 31, por pouco o Flamengo não definiu o jogo. Michael arrancou, e acionou Everton Ribeiro na direita. Ele bateu de primeira, e ela passou muito perto da trave esquerda.

O golpe final veio com o time já muito bagunçado. Em mais um contra-ataque rápido, Michael foi acionado na direita e, livre, desta vez não perdoou. Bateu cruzado, e ela passou embaixo de Chapecó. No fim, Rodinei, de cabeça, anotou. De pênalti, Vitinho ainda teve tempo para definir o placar e encaminhar a ida dos rubro-negros à semifinal da Copa do Brasil.

Fonte: CP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: