fbpx
EducaçãoGeral

Resultados do Enem 2021 sairão em 11 de fevereiro, diz Inep

Os resultados do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021 serão divulgados em 11 de fevereiro, segundo o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Danilo Dupas.

Nessa data, os candidatos poderão consultar o boletim com as notas individuais em cada prova (linguagens, ciências humanas, ciências da natureza, matemática e redação).

O gabarito extraoficial do Enem será publicado ainda nesta semana, na quarta-feira (1º). Ele só permite, no entanto, que o aluno saiba seu número total de acertos.

Como a prova é corrigida pela Teoria de Resposta ao Item (TRI), a nota final não é calculada apenas com base na porcentagem de respostas corretas.

Ela detecta a “coerência” no desempenho do aluno: se ele acertou questões muito difíceis, por exemplo, e errou as consideradas fáceis, provavelmente “chutou” as alternativas. A TRI detecta essa incongruência e atribui menos pontos ao candidato.

Duas pessoas que acertarem 120 de 180 questões podem tirar notas totalmente diferentes, portanto. Entenda mais sobre esse “método antichute” aqui.

Taxa de abstenção

A edição de 2021 teve taxa de abstenção de 29,9%, segundo o Inep.

No primeiro domingo de prova (21), 26% dos inscritos não haviam comparecido à avaliação.

São índices inferiores aos da edição passada, quando, no auge da pandemia de Covid-19, 51,5% dos participantes faltaram.

Mandados de prisão

Houve 31 mandados de prisão cumpridos durante o Enem 2021, sendo 27 no primeiro domingo e 4 no segundo, afirma Cléo Mazzotti, delegado da Polícia Federal.

Foram referentes a sequestro, tráfico de drogas, estupro de vulnerável e outros crimes graves, explica.

Reaplicação do Enem

Mesmo diante da abstenção recorde do Enem, em 2020, o Inep não mudou o edital: aqueles alunos que estavam isentos, não fizeram a prova e não justificaram a ausência perderam o direito à gratuidade da taxa de inscrição em 2021.

Apenas argumentos como doenças infectocontagiosas ou mortes na família foram aceitos – quem deixou de fazer a prova por medo de contrair Covid-19 só poderia, a princípio, participar do Enem 2021 pagando a taxa de R$ 85.

Com isso, apenas 3.109.762 inscrições haviam confirmadas (menor número desde 2005).

Após ser acionado por partidos políticos e por entidades, o Supremo Tribunal Federal determinou que as inscrições para esses candidatos fossem reabertas.

Esse grupo fará a reaplicação do exame em 9 e 16 de janeiro de 2022, na mesma data que as pessoas privadas de liberdade (Enem PPL).

A pergunta exigia conhecimentos de análise combinatória e usava como contexto os times campeões da Copa do Brasil até 2018.

Durante a coletiva de imprensa, Dupas e Ribeiro não comentaram sobre possíveis anulações.

Só será possível saber se haverá cancelamento quando o gabarito oficial do Inep for divulgado – até quarta-feira (1º), segundo o edital do Enem.

Tema da redação: ”invisibilidade e registro civil’

O tema da redação do Enem 2021 foi “invisibilidade e registro civil: garantia de acesso à cidadania no Brasil”.

Os candidatos tiveram de escrever um texto dissertativo-argumentativo sobre brasileiros que não têm certidão de nascimento (são mais de 3 milhões nessa situação, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE).

São pessoas que não conseguem: tirar outros documentos importantes (como RG e título de leitor), ter acesso a serviços públicos de educação e de saúde, receber auxílios do governo ou tomar vacina, por exemplo.

Temas abordados nas provas

O primeiro dia de provas do Enem 2021, com 90 questões de linguagens e ciências humanas, trouxe um trecho da música “Admirável Gado Novo”, do cantor Zé Ramalho, e perguntas sobre:

  • racismo;
  • escravidão;
  • erotização da mulher;
  • saberes indígenas;
  • população carcerária brasileira;
  • leitura crítica de notícias;
  • movimentos sociais.

O segundo domingo cobrou conhecimentos de ciências da natureza e matemática. Houve, entre outros, os seguintes assuntos:

  • desastre de Mariana;
  • Copa do Brasil (análise combinatória);
  • literatura de cordel;
  • botânica;
  • gravitação;
  • fluxo de calor.

Temas atuais relacionados à Covid-19 (como outras pandemias ou vacinação) não foram mencionados.

Denúncias de interferências no Inep

Servidores do Inep, instituto que organiza o Enem, denunciaram que sofreram assédio e pressão psicológica para evitar questões polêmicas que pudessem incomodar o governo.

Em decisão conjunta, 37 deles pediram demissão.

Um grupo de funcionários também se queixou de episódios de assédio moral e disse que o presidente do Inep, Danilo Dupas, estava se eximindo de responsabilidades importantes para organização do exame.

As queixas e os documentos reunidos vão ser analisados pelo Tribunal de Contas da União, para apurar se houve alguma tentativa de interferência do governo na prova.

Tanto o Ministério da Educação quanto o Inep negaram as acusações.

Enem ‘a cara do governo’

Em 15 de novembro, logo após as denúncias de tentativa de interferência ideológica no Enem, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que as questões da prova começavam a “ter a cara do governo”.

Dois dias depois, ele disse que não chegou a ver as perguntas. Afirmou que, se tivesse tido acesso à avaliação, ela teria “mudado para sempre, com questões objetivas”.86 vídeos

Fonte: G1

%d blogueiros gostam disto:

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (0) in /home/tapeja36/public_html/wp-includes/functions.php on line 5420