fbpx

Com o ministro do Turismo na garupa, Bolsonaro participa de motociata em Pernambuco

O presidente da República, Jair Bolsonaro, participou neste sábado (4) de uma motociata com apoiadores em Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste de Pernambuco. Na sua garupa, Bolsonaro levou o ministro do Turismo, o pernambucano Gilson Machado. O presidente acenou para o público que acompanhava o passeio de moto, que reuniu milhares de pessoas.

Gilson Machado é cotado para a disputa do Governo de Pernambuco ou para uma vaga no Senado. Outros políticos do Estado também participam do ato, como o deputado estadual Alberto Feitosa (PSC) e o presidente do PTB-PE, Coronel Meira. Homens da Polícia Militar, da Polícia Rodoviária Federal, da Polícia Federal e da Força Nacional integraram um forte esquema de segurança para o ato.

No trajeto entre Santa Cruz do Capibaribe até Toritama, muitos motociclistas que estavam na beira da estrada seguiram o comboio. Todos buzinaram e alguns levaram caixas de som com músicas de apoio a Bolsonaro. O destino final do ato foi Caruaru.

Entre os motociclistas, foram vistas camisas de apoio ao presidente e algumas pedindo o impeachment de ministros do STF (Supremo Tribunal Federal). Bolsonaro não deu declarações à imprensa.

7 de setembro

A mobilização em Pernambuco foi a três dias das manifestações programadas para várias cidades no feriado de 7 de setembro. O presidente tem afirmado que deve comparecer a alguns dessas manifestações.

Na sexta-feira, ao convocar apoiadores para os atos no Dia da Independência, Bolsonaro criticou o que chamou de decisões judiciais “inconstitucionais” e afirmou que os protestos marcados para o dia 7 serão um “ultimato para duas pessoas” – em uma referência aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso.

Segundo o presidente, essas “duas pessoas” estão atrapalhando seu governo. “Nós não precisamos sair das quatro linhas da Constituição. Ali, temos tudo o que precisamos. Mas, se alguém quiser jogar fora das quatro linhas, nós mostraremos o que poderemos fazer também”, declarou Bolsonaro durante cerimônia de concessão da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol) em Tanhaçu, na Bahia. “Vamos derrotar aqueles que querem nos levar para o caminho da Venezuela. Juntos, seremos vitoriosos.”

Sem citar nominalmente Moraes e Barroso, Bolsonaro disse que “duas pessoas” precisariam “voltar para o seu lugar”. “Não podemos admitir que uma ou duas pessoas, usando a força do poder, queiram dar outro rumo para nosso país. O recado de vocês, povo brasileiro, nas ruas, na próxima terça-feira, dia 7, será um ultimato para essas duas pessoas. Eu duvido que aqueles um ou dois que ousam nos desafiar, desafiar a Constituição, desrespeitar o povo brasileiro, saberão voltar para o seu lugar. Quem dá esse ultimato não sou eu, é o povo.”

O presidente acusa Barroso, também é presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), de ter articulado, com dirigentes partidários, a derrota da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do voto impresso, uma bandeira bolsonarista. Já Moraes foi responsável por incluir o presidente como investigado no inquérito das fake news.

Fonte: O Sul

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: