fbpx

Inter demite mais 45 funcionários em nova etapa da reestruturação administrativa

O Inter revelou na manhã desta sexta-feira que demitiu 45 funcionários de “todas as áreas” do clube em uma nova etapa da reestruturação administrativa que vem ocorrendo desde 2020, na gestão do presidente Marcelo Medeiros. A decisão foi tomada diante da “preocupação com a realidade financeira e com a necessidade de buscar maior eficiência administrativa e operacional” no Colorado, segundo nota assinada pelo CEO Giovane Zanardo.

“São decisões que tomamos hoje para construir um amanhã sólido, sustentável e vencedor para o Clube. Porque se o presente é difícil, o futuro pode ser pior se não fizermos o que precisa ser feito agora. Lembrando, sempre, que administramos em nome da torcida e é por ela, e para ela, que devemos gerir o Inter com responsabilidade, honestidade, amor e compromisso com o futuro do clube”, diz o texto.

Além dos 45 colaboradores “desligados”, o CEO revelou que novamente ocorrerão revisão de todos os contratos com fornecedores estratégicos; reavaliação de rotinas, processos e sistemas; e Redução de gastos correntes não essenciais, como nas últimas vezes que o clube tomou medidas semelhantes.

Está é a terceira demissão em massa nos últimos dois anos. Na primeira, ainda na gestão do presidente Marcelo Medeiros, em maio de 2020, 44 foram demitidos. No primeiro ano de pandemia, a direção também acertou uma redução temporária de salários de jogadores e de funcionários administrativos.

A segunda ocorreu já na gestão do presidente Alessandro Barcellos, que foi vice de administração do clube antes de ser vice de futebol e, posteriormente, candidato ao cargo máximo. Em 7 de abril, 63 trabalhadores tiveram seus vínculos interrompidos.

O Colorado também vem fazendo movimentos no grupo do futebol profissional e na base. A meta estipulada no orçamento com a venda de jogadores é de R$ 90 milhões, sem negociar peças do time titular. Até o momento, o Inter vendeu Praxedes para o Bragantino por cerca de R$ 35 milhões no início de julho.

Depois, o lateral Vinícius Tobias teve os direitos vendidos para o Shakhtar Donetsk por cerca de R$ 45 milhões. Além de R$ 1 milhão da venda de Charles ao FC Midtjylland, da Dinamarca. O volante estava no Ceará.

Confira as medidas anunciadas nesta sexta:

● Desligamento de cerca de 45 colaboradores, de todas as áreas;
● Revisão de todos os contratos com fornecedores estratégicos;
● Reavaliação de rotinas, processos e sistemas;
● Redução de gastos correntes não essenciais.

Fonte: CP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: